Historia Do Município

História

As primeiras penetrações na região de Planaltina foram feitas por bandeirantes paulistas, à procura de ouro. Segundo versões correntes, nos primórdios de 1812 já residia no local um armeiro famoso, cognominado ‘o Mestre d’ Armas’, que era procurado por pessoas vindas de grandes distâncias. Esse foi o núcleo de onde se originou a cidade de Planaltina. Não se sabe ao certo quando se deu a fundação do povoado; sabe-se, entretanto, que em 25 de janeiro de 1812 existia um cemitério no local.

Localizado a cerca de 20 quilômetros da cidade-satélite do mesmo nome, o município de Planaltina de Goiás, apesar de ser relativamente novo, tem uma história que se confunde com a de Brasília e inúmeros problemas sociais em conseqüência do excesso populacional e da falta de critérios na sua ocupação. Com a mudança da capital federal do Rio de Janeiro para Goiás, parte do município goiano de Planaltina, que já existia há 100 anos, ficou fora do quadrilátero estabelecido para o Distrito Federal.

Para essa parte, foi estabelecido o prazo de um ano para o assentamento de uma nova sede que funcionou, provisoriamente, perto da lagoa formosa, passando depois para São Gabriel de Goiás. O primeiro prefeito desse novo município foi Francisco Muniz Pignta.

Ao seu sucessor na prefeitura, Eloi Pinto de Araújo, mineiro de Dores do Indaiá, no período de 1965 a 1969, coube a iniciativa de efetivar o assentamento da nova sede do município.

O local escolhido foi a Fazenda Brasília, de propriedade de Joaquim Gonçalves, conhecido por Joaquim Mineiro. Naquela área, identificada hoje por uma pedra fundamental, iniciou-se a construção do fórum do município, em 1967, que recebeu o nome de Planaltina de Goiás, resultado de um plebiscito realizado no mesmo ano.

O seu início apresentou inúmeras semelhanças com a própria construção da capital federal, entre elas, o desbravamento do cerrado capitaneado por um mineiro; os barracos de madeira que, a princípio, abrigaram os primeiros habitantes e os principais órgãos públicos municipais.

Por essas e outras coincidências, o município recebeu o apelido de “Brasilinha”. “Estão construindo uma Brasilinha”, diziam, conforme lembra o advogado Dirceu Ferreira Araújo, mineiro, detentor de um importante acervo de fotografias e documentos históricos e com o conhecimento de causa de quem mora na região desde 1955, sem contar o fato de que é filho do prefeito a quem coube o assentamento do município. Mas as coincidências com Brasília não param por á. A cidade também tinha um planejamento de urbanização, com a área a ser ocupada previamente definida, de forma a facilitar a implantação dos serviços públicos básicos.

Essa área previa a ocupação, nos próximos 50 anos, de 22 mil lotes que abrigariam cinco pessoas, em média, o que significaria uma população de cerca de 110 mil habitantes em 2017. Em menos de 30 anos, a população já atingiu os 80 mil habitantes, de acordo com estimativas locais, que questionam os dados do censo de 1991, indicando uma população de apenas 42 mil habitantes.

Formação administrativa

  • Distrito criado com a denominação de Mestre D’Armas pela Lei ou Resolução Provincial n.º 615, de 02-04-1880, no município de Formosa.
  • Elevado à categoria de vila com a denominação de Mestre D’Armas, por Decreto Estadual n.º 52, de 19-03-1891, sendo desmembrado de Formosa. Sede na povoação de Mestre D’Armas. Constituído do distrito sede. Instalado em 28-02-1892.
  • Pela Lei n.º 363, de 22-07-1910, o município de Mestre D’Armas passou a denominar-se Altamir.
  • Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município já denominado Altamir é constituído do distrito sede.
  • Pela Lei Estadual n.º 541, de 14-06-1917, o município de Altamir passou a denominar-se Planaltina.
  • Em divisão referente ao ano de 1933 o município de Planaltina é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.
  • Pela Lei Municipal n.º 113, de 05-12-1958, foram criados os distritos de Córrego Rico e São Gabriel, ambos ex-povoados, e anexados ao município de Planaltina.
  • Em divisão territorial datada de 1-VII-1960 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás.
  • Pela Lei Estadual n.º 5.988, de 06-10-1965, o município de Planaltina passou a denominar-se São Gabriel de Goiás.
  • Pela Lei Estadual n.º 6.553, de 17-02-1967, o município voltou a denominar-se Planaltina.
  • Em divisão territorial datada de 1-I-1979 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.